Home |  Contactos |  Consultório |  Carreira |  Meteorologia |  Mapa Site
Português  English 
Calendários de Tratamento e Fertilização
Conheça os inimigos das suas Culturas
Pesquisar:
Notícias
Algas TOMEX
Ensaio na Lourinhã em Abóbora
Conheça os resultados positivos deste ensaio da Agroquisa em conjunto com a MCA Algas y Derivados e com a Louricoop.
Ensaio na Lourinhã em Abóbora
Campanha ANIPLA
Campanha ANIPLA
Campanha ANIPLA
Informações
Centro de Informação Antivenenos
Aberto 24H por dia. Fornece gratuitamente todas as informações necessárias ao tratamento de envenenados com Agroquimicos.
Centro de Informação Antivenenos
Mundo Animal » ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO » Gatos » Cuidados a ter
VISITAS AO VETERINÁRIO
CUIDADOS DE HIGIENE
CUIDADOS REPRODUTIVOS
CUIDADOS ALIMENTARES
VISITAS AO VETERINÁRIO

Um cuidado que deverá ter com o seu novo gato é fazer uma visita ao veterinário, para que este o examine detalhadamente e o aconselhe sobre aspectos importantes da vida do seu animal de estimação, como por exemplo qual o programa vacinal e de desparasitação a seguir.

Nesta visita, deverá fazer-se acompanhar do boletim sanitário do animal (caso este já o tenha) e dispor de toda a informação possível a seu respeito (data de nascimento, tipo de parto, doenças dos progenitores, doenças anteriores quando se trate de animais mais velhos, etc.).

Nesta altura, poderá aproveitar para esclarecer com o veterinário as dúvidas que tiver relativamente à alimentação do animal, aspectos reprodutivos e a outros assuntos que julgue necessários.

Top
CUIDADOS DE HIGIENE

Os gatos são animais muito asseados, mas existem alguns cuidados de higiene que os donos devem garantir e que contribuem de uma forma decisiva para o bem-estar dos animais. No aspecto da higiene, os gatos de pelo comprido necessitam de uma assistência mais próxima e frequente.


A utilização do caixote 
 
Os gatos devem dispor desde cedo de um local adequado para os seus dejectos. O caixote normalmente utilizado para este efeito, contendo a areia ou o granulado adequado, deverá estar colocado sempre no mesmo local.

Deverá igualmente ser mantido limpo, caso contrário o gato preferirá não o utilizar. Assim, as fezes deverão ser removidas diariamente e a areia ou granulado substituídos seguindo as instruções da embalagem ou sempre que verifique ser necessário.

Mesmo que o seu gato passe grande parte do dia no exterior, mantenha sempre em casa um caixote para dejectos pois o animal poderá ter necessidade de o utilizar, mesmo durante o pouco espaço de tempo que está dentro de casa. Os gatos aprendem facilmente a utilizar o caixote.

Bastará que observe o animal atentamente, em especial quando ele acordar e depois das refeições, e quando lhe parecer que irá defecar ou urinar deverá colocá-lo no caixote. Em pouco tempo ele irá ao caixote sozinho.

Muitas vezes, os gatinhos aprendem a utilizar o caixote apenas observando a mãe.

 

Pelagem 
 
Os gatos utilizam a língua para realizar a toilette, ou seja para cuidar da sua pelagem. Removem desta forma pó, pelos mortos, etc. mantendo a pelagem com um aspecto saudável.

No entanto, por vezes a toilette não é suficiente para cuidar da pelagem de uma forma adequada, especialmente nos animais de pelo comprido.

Por outro lado, os pelos lambidos, quando ingeridos, podem causar problemas aos animais; este risco agrava-se especialmente nas alturas do ano em que a queda de pelo é mais importante.
 
Assim, habitue o seu animal a deixar-se escovar, de preferência desde jovem. Conseguirá desta forma manter a pelagem com um aspecto limpo e cuidado e contribuirá para evitar os problemas referidos.

Além disso, a escovagem do gato também ajudará a revelar a presença de parasitas (p. ex. pulgas) e a eliminá-los mais facilmente.

Poderá considerar que os gatos de pelo comprido necessitam ser escovados diariamente, enquanto para os de pelo curto, normalmente é suficiente fazê-lo duas vezes por semana.

Além de escovas e pentes, um pano de veludo, seda ou camurça ajudará a manter o pelo do seu animal mais brilhante.

 

Banhos 
 
Para um gato que normalmente esteja em casa, um banho mensal é suficiente. No entanto, para que os gatos gostem de tomar banho é normalmente necessário habituá-los desde jovens.

Utilize água morna, pelo menos à temperatura corporal, e um champô adequado para gatos (anti-parasitário ou apenas de beleza) ou, não sendo possível, um champô para bebés. Tenha o cuidado de manter a cabeça do gato fora de água e de não deixar escorrer água ou champô para os olhos ou para dentro dos ouvidos.

Tenha a água já dentro da banheira ou do alguidar quando ali colocar o gato, para que ele não se assuste com o barulho das torneiras; evite também jactos de água fortes. Será preferível cuidar dos olhos em separado, limpando-os com um pedaço de algodão ou com uma toalha embebida em água.

Durante o banho poderá também tapar os ouvidos com algodão para evitar problemas. Depois do banho seque o gato com uma toalha; escove então o pelo e, caso o animal esteja habituado poderá utilizar um secador de cabelo comum, não muito forte, nem na temperatura máxima.

Se o seu gato tem uma verdadeira aversão à água, se assegura a realização da sua higiene diária e se está sempre em casa, poderá resolver o problema com uma limpeza periódica utilizando uma toalha húmida e quente.

 

Limpeza dos ouvidos
Deverá também cuidar regularmente da limpeza dos ouvidos do seu gato, utilizando para o efeito uma cotonete ou uma mecha de algodão, secos ou embebidos em água tépida, soro fisiológico, álcool ou produtos específicos para o efeito, e tendo o cuidado de limpar apenas a região visível.

As limpezas em maior profundidade deverão ser reservadas para o veterinário.

A limpeza regular dos ouvidos ajuda a prevenir otites e permite detectar quaisquer alterações, permitindo assim um tratamento atempado de potenciais problemas.

 

Limpeza dos olhos 
Limpe regularmente os olhos do seu gato.

Nalguns gatos o canal lacrimal fica obstruído com alguma frequência e a secreção lacrimal tende a acumular-se sobre o focinho, formando um resíduo acastanhado.

Poderá resolver este problema com um pedaço de algodão seco ou embebido em água tépida.

 

 

 

 

Cuidados dentários 
 
O gato tem duas dentições, a dentição de leite composta por 26 dentes (14 no maxilar superior e 12 no maxilar inferior), e a dentição adulta composta por 30 dentes (16 no maxilar superior e 14 no maxilar inferior).

A erupção dos dentes de leite tem início por volta das 2 a 3 semanas de vida e está completa cerca das 8 semanas de vida.

A dentição adulta está completa cerca dos oito meses de vida.
 
Para que o seu gato tenha uma dentição saudável, deverá implementar algumas medidas básicas de prevenção.

Deverá assim habituar o seu gato a deixar escovar os dentes; para isso, logo em pequeno, limpe-lhe os dentes com uma pedaço de algodão ou de gaze e introduza progressivamente a utilização de uma escova de dentes apropriada para gatos ou, na sua falta, de uma escova macia para crianças.

Também os hábitos alimentares têm influência na saúde dentária do seu gato; evite as guloseimas e aconselhe-se com o seu veterinário relativamente aos alimentos mais adequados.

 

Corte de unhas 
 
Os cuidados com as unhas são muito importantes; contribuem decisivamente para que o seu gato não as afie nos locais disponíveis, como sofás, móveis, etc.!

Para gatos que vivem permanentemente dentro de casa as unha devem ser cortadas cerca de uma vez por mês.

As unhas dos gatos são retrácteis. 
 
Deverá fazer uma ligeira pressão nos dedos para que apareçam; depois de exteriorizar a unha, verá facilmente até onde pode cortar (apenas a porção translúcida) e só então deverá fazê-lo, utilizando um instrumento adequado para o efeito ou mesmo um simples corta-unhas.

No entanto, caso nunca tenha cortado as unhas a um gato, nunca tenha visto ninguém fazê-lo, ou não se sinta à vontade para realizar esta tarefa, peça primeiro ao veterinário que o ensine.

Top
CUIDADOS REPRODUTIVOS

Ciclo reprodutivo

As gatas e os gatos atingem a maturidade sexual com cerca de 5/7 e 9 meses de idade, respectivamente, dependendo da raça, da época de nascimento e do peso corporal. As raças de pelo comprido geralmente atingem a maturidade sexual mais tarde. No entanto, as gatas não devem ser cobertas no primeiro cio, uma vez que nessa altura não têm ainda um desenvolvimento corporal adequado, sob pena de comprometer a sua vida reprodutiva futura ou, em casos extremos, de colocar a sua vida em risco.

As gatas são fêmeas poliéstricas sazonais, ou seja repetem-se ciclos éstricos em épocas do ano determinadas, em função da duração diária do período de luz. Nos climas como o nosso, e para animais que vivem ao ar livre, a época de acasalamento decorre geralmente na primavera e pode durar até cerca de seis semanas. Cada ciclo éstrico tem uma duração variável, de 4 a 30 dias. O início de um ciclo (cerca de 1 a 2 dias) caracteriza-se por uma atracção do macho sem receptividade sexual.

Segue-se a fase de cio, com uma duração de cerca de seis dias, mas também bastante variável, em que as gatas manifestam um comportamento típico (vocalização repetida, roçam a cabeça e o pescoço nos objectos e nas pessoas, arqueiam o dorso e desviam a cauda para o lado). Nas gatas a ovulação é induzida, ou seja só ocorre depois da cobrição. Caso as gatas não sejam cobertas durante o cio, este volta a repetir-se cerca de 22 dias mais tarde. Quando ocorre ovulação mas a gata não fica gestante, ocorre uma situação de pseudo-gestação, com uma duração de 35 a 45 dias. Caso a gata fique gestante, a duração da gestação é em média de 63 dias.

 

Cuidados com as gatas gestantes

Quando gestantes, as gatas alteram o seu comportamento, tornando-se em geral mais calmas e dóceis. Normalmente as alterações físicas associadas à gestação só são aparentes depois de passado o primeiro mês, ou mesmo mais, no caso de animais de pelo comprido.

Cerca de uma a duas semanas antes do parto, a gata começa a procurar o local onde os seus filhos irão nascer. O objectivo do animal é dispor de um local quente e confortável, pelo que, caso se trate de uma gata mantida dentro de casa, é preferível providenciar-lhe um local onde os gatinhos deverão nascer, antes que ela resolva encontrar um local pouco desejável para si. Poderá utilizar para o efeito um caixote de cartão com uma abertura lateral; forre este ninho da sua gata com um material quente, de fácil limpeza ou que se substitua facilmente.

 

Cuidados durante o parto

Quando o momento do parto se aproxima, as gatas ficam mais inquietas, a frequência respiratória aumenta e vocalizam repetidamente. Normalmente, as gatas preferem isolar-se para parir, chegando a adoptar comportamentos típicos de animais vadios, ou seja a esconder os filhotes por uma questão de sobrevivência. Há no entanto casos em que a relação com os donos é muito forte e as gatas procuram-nos quando a hora do parto de aproxima. Nesta altura, o local de parto já deverá estar preparado, ou correrá o risco da gata atrasar o parto para procurar um local a seu gosto.

Toda esta fase associada ao parto dura em média cerca de 6 a 12 horas; em média a expulsão de todos os gatinhos dura até 6 horas, com um intervalo de 30 a 60 minutos entre cada um. Deverá vigiar o comportamento da gata, especialmente se se tratar do primeiro parto, e assegurar-se que não ocorrem quaisquer complicações. Caso a gata não consiga libertar os gatinhos das membranas fetais e cortar o cordão umbilical poderá ajudá-la, bem como a limpar os gatinhos. Poderá também ser necessário ajudar os gatinhos a encontrar as mamas da mãe. Coloque-os junto delas e comprima o mamilo de modo a libertar uma gotas para que os gatinhos se apercebam. Se a gata não demonstrar qualquer dificuldade durante toda esta fase de parto não tente ajudá-la, já que é provável que ela não goste; não tente mesmo pegar nas crias a não ser que seja necessário.

 

Cuidados com a mãe e sua nova ninhada

Cerca de 12 horas depois do nascimento do último gatinho a mãe deverá apresentar um apetite normal. Caso isso não aconteça, ou a sua gata lhe parecer apática ou tiver febre ou estiver inquieta ou continuar a ter contracções consulte imediatamente o veterinário.

Caso tenha que criar um ou mais gatinhos recém nascidos que por qualquer razão perderam a mãe, não se esqueça que tem que garantir outros aspectos além do fornecimento do leite, sendo os principais realizar uma massagem do ventre para estimular a emissão de fezes e de urina, limpar a região anal com água tépida e manter os animais confortáveis e quentes, assegurando uma temperatura ambiente de cerca de 32/34ºC durante as primeiras duas semanas de vida.

Cerca das 2 a 3 semanas de idade, os gatinhos abrem os olhos e começam a arrastar-se, às 4 semanas já conseguem andar e às 5 semanas de idade correm e brincam.

 

Evitar a gestação

Caso tenha uma gata e não pretenda que ela venha a ter descendência, a gestação pode ser evitada utilizando medicamentos ou por via cirúrgica. Deverá aconselhar-se com o seu veterinário sobre a utilização de contraceptivos pois, tal como acontece em qualquer espécie, o seu uso não é completamente inócuo.

Em termos de tratamento cirúrgico, poderá optar, depois também de se aconselhar com o seu veterinário, por diversas intervenções: uma ovariohisterectomia, ou seja a remoção dos ovários e do útero, uma ovariectomia, ou seja a remoção apenas dos ovários, uma histerectomia, ou seja a remoção apenas do útero ou uma laqueação das trompas. Nos dois últimos casos a gata continua a manifestar cio e todas as alterações de comportamento que lhe estão associadas, apenas não ficará gestante.

Caso tenha um gato, não pretenda que ele venha a ter descendência e queira evitar problemas associados ao comportamento reprodutivo, poderá optar por castrá-lo. Esta intervenção não tem qualquer risco para o animal e normalmente é realizada depois dos 9 meses de idade.

Top
CUIDADOS ALIMENTARES
Durante a lactação, especialmente durante o primeiro mês, é importante garantir que a dieta da gata é de elevada qualidade e fornecida em quantidade suficiente. Nesta altura, as necessidades do animal aumentam apreciavelmente e é importante que não ocorram problemas alimentares com reflexo na produção de leite e com prejuízos consequentes no crescimento dos gatinhos que, nesta altura, são completamente dependentes da mãe.

A partir das quatro semanas de idade podem ser introduzidos progressivamente na dieta dos gatinhos outros alimentos que não o leite da mãe, por exemplo ração seca amolecida com água. Nesta altura poderá também começar a habituar os gatinhos ao prato do leite e a utilizar o caixote para os dejectos. O desmame completo é feito normalmente cerca das 7/8 semanas de idade.

Os gatinhos precisam ser alimentados com uma frequência superior aos adultos, Assim, considera-se adequado 3 a 4 refeições por dia para os mais jovens, até cerca dos 6 meses de idade, e 2 para os mais velhos. As refeições devem ser fornecidas sempre no mesmo horário e não devem ficar restos à disposição dos animais entre as refeições. Esta opção deve-se essencialmente à necessidade de estabelecer regras de higiene e de comportamento, já que normalmente os gatos preferem comer pequenas quantidades diversas vezes por dia. A dieta deve ser variada. Poderá optar por preparar as refeições ou por adquirir alimentos específicos para gatos já preparadas prontas a utilizar. Existem no mercados numerosas opções de rações secas e húmidas para gatos, que incluem alimentos variados. Depois da refeição, o prato deverá ser retirado, mantendo-se apenas à disposição do animal um recipiente com água fresca.

Normalmente os gatos gostam bastante de leite. No entanto, os mais velhos podem ter alguns problemas em digeri-lo, por insuficiência de lactase chegando a manifestar diarreia. Neste caso, o leite deverá ser fornecido em menor quantidade ou mesmo retirado da alimentação.

Se tiver que realizar um aleitamento artificial a um gatinho deverá preferencialmente utilizar um leite em pó específico para esse efeito, ou na sua falta, um leite em pó para bebés. O leite deverá ser fornecido à temperatura corporal, utilizando um biberão específico para o efeito, um conta-gotas ou uma seringa. A quantidade total de leite que o gatinho bebe (em média cerca de 18 a 20 ml por 100 g de peso corporal nas primeiras quatro semanas de vida) deve ser distribuída em três ou quatro refeições diárias.
Top
Newsletter
Subscreva a nossa Newsletter
CAMPANHA FORRAGEIRAS
Sementes Forrageiras e Misturas AGROQUISA
A AGROQUISA põe à sua disposição uma gama de espécies forrageiras melhoradas e seleccionadas
Sementes Forrageiras e Misturas AGROQUISA
Agroquisa © Todos os Direitos Reservados. Site Desenvolvido: Cyclop Net - Desenvolvimento de Sites Profissionais.