Home |  Contactos |  Consultório |  Carreira |  Meteorologia |  Mapa Site
Português  English 
Calendários de Tratamento e Fertilização
Conheça os inimigos das suas Culturas
Pesquisar:
Notícias
Algas TOMEX
Ensaio na Lourinhã em Abóbora
Conheça os resultados positivos deste ensaio da Agroquisa em conjunto com a MCA Algas y Derivados e com a Louricoop.
Ensaio na Lourinhã em Abóbora
Campanha ANIPLA
Campanha ANIPLA
Campanha ANIPLA
Informações
Centro de Informação Antivenenos
Aberto 24H por dia. Fornece gratuitamente todas as informações necessárias ao tratamento de envenenados com Agroquimicos.
Centro de Informação Antivenenos
Mundo Animal » PECUÁRIA » Bovinos » Raças
Padrão da Raça Frísia
Padrão da Raça Bovina Alentejana
Padrão da Raça Bovina Arouquesa
Padrão da Raça Bovina Barrosã
Padrão da Raça Brava de Lide
Padrão da Raça Bovina Cachena
Raça Garvonesa ou Chamusca
Padrão da Raça Bovina Marinhoa
Padrão da Raça Raça Bovina Maronesa
Padrão da Raça Bovina Mertolenga
Padrão da Raça Bovina Minhota
Padrão da Raça Bovina Mirandesa
Padrão da Raça Bovina Preta ou Negra Ibérica
Padrão da Raça Bovina do Ramo Grande
Padrão da Raça Bovina Charolesa
Padrão da Raça Bovina Limousine
Padrão da Raça Frísia

Padrão da Raça Frísia (in Regulamento do Livro Genealógico Português da Raça Bovina Frísia, Portaria 1083/91 de 24 de Outubro, DR 1ª Série B)

Os bovinos de raça Frísia são animais de temperamento calmo, sem prejuízo de grande vivacidade.

Pelagem com malhas de dimensão variável, mas sempre de recorte bem definido.

As cores são normalmente branca e preta, admitindo-se também animais com as cores branca e vermelha.

Pele fina e solta.

Cabeça de mediano comprimento, seca, com orelhas finas e horizontais; olhos grandes e brilhantes, focinho largo, com boca grande e narinas bem abertas.

Quando estão presentes os cornos são pequenos, finos e arqueados para a frente e para dentro.

De boa capacidade corporal, com esqueleto apto a suportar e conter um tórax amplo e um abdómen volumoso no qual se implanta um vasto úbere a sugerir uma boa aptidão leiteira. Peso médio cerca de 600 kg na vaca adulta, ultrapassando 900 kg nos touros.

Top
Padrão da Raça Bovina Alentejana

Raça em que o peso adulto dos machos é de cerca de 1000 kg e o das fêmeas é de cerca de 700 kg. É utilizada em produção de carne. A raça é oriunda do Alentejo.

O número de vacas é de cerca de 8000. Associada a esta raça é comercializada carne com a DOP (Denominação de Origem Protegida) Carnalentejana.
 

Padrão da Raça Bovina Alentejana (in Regulamento do Livro Genealógico da Raça Bovina Alentejana, Portaria nº 375/70 de 24 de Julho)

Corpulência - Animais de grande formato e proporções médias, de regular musculatura, constituindo no seu todo um conjunto harmónico.

Pelagem - Vermelha, com tons que vão desde o claro (trigueiro) ao retinto (cor de mogno); borla da cauda geralmente interpolada. A cor dos contornos das aberturas naturais vai desde o vermelho tijolo até à do âmbar levemente rosado. Pele solta, elástica, de pelos luzidios.

Andamentos - Fáceis, correctos, sem vacilação das ancas.

Temperamento - Animais rústicos, enérgicos e mansos.

 


CABEÇA 

De regular desenvolvimento, de perfil convexo ou sub-convexo, com acentuado dimorfismo sexual; coberta de pelos lisos. A sua maior largura situa-se por cima dos olhos, enquanto que, em relação ao comprimento, a região frontal é mais curta que a face.

Cornos - De regular tamanho, branco-sujos, com as pontas de tonalidade que vai do âmbar claro até ao afogueado, simétricos e de secção elíptica. Saiem do crânio no prolongamento da marrafa, dirigem-se para trás e para baixo e recurvam-se depois para a frente e para cima.

Marrafa - Pouco saliente e arredondada, coberta de pelos compridos e lisos ou, por vezes, encaracolados (nos machos).

Fronte - Ligeiramente convexa, sobretudo no sentido transversal

Orelhas - Bem inseridas, horizontais e revestidas de pelos compridos na face interna

Olhos - À flor das faces.

Chanfro - Ligeiramente convexo, ou mesmo recto e bem delimitado.

Faces - Secas, deixando o focinho destacado

Focinho - Desenvolvido, com espelho de coloração idêntica à das restantes mucosas ou ligeiramente pigmentado.

 

 

TRONCO

Pescoço - Nos machos é espesso, curto e horizontal, provido de barbela que se prolonga em larga dobra desde o mento até ao cilhadouro, tendo apenas uma pequenas retracção depois de passada a zona da garganta. Nas fêmeas é muito menos espesso, de bordo superior estreito e a barbela menos desenvolvida.

Cernelha - De largura média e pouco saliente.

Dorso - Comprido e medianamente largo.

Lombo ou rim - Relativamente largo, ligeiramente mergulhante e um pouco inclinado lateralmente.

Garupa - Comprida, de boa largura anterior e regularmente musculada.

Cauda - Fina, caindo regularmente em curva suave a partir da sua inserção e terminando numa borla bem encabelada.

Peito - Relativamente destacado.

Costado - Alto, um tanto achatado e estrangulado atrás das espáduas, mas alargando e arredondando gradualmente à medida que se aproxima da região abdominal.

Flanco - Curto.

Ventre - Desenvolvido.

Úbere - Relativamente desenvolvido e regularmente implantado.

Forro - Comprido e desenvolvido.

 

 

MEMBROS

De tamanho e grossura médios, bem musculados.

Espádua - Comprida e larga.

Braço e antebraço - Fortes.

Coxa - Larga e comprida, mas de massas musculares pouco profundas.

Nádega - Relativamente descida (comprida) e tendendo para convexilínea.

Extremidades (mãos e pés) - Fortes de largas articulações.

Unhas - Bem conformadas, sólidas e lisas, cuja cor vai do âmbar ao afogueado.

Top
Padrão da Raça Bovina Arouquesa

Raça em que o peso adulto dos machos é de cerca de 600/700 kg e o das fêmeas é de cerca de 350/400 kg. É utilizada em produção de carne; alguns animais são também ordenhados, tendo o seu leite um teor butiroso elevado. A raça é oriunda da região de Arouca.

O número de vacas é de cerca de 6000. Associada a esta raça é comercializada carne com a DOP (Denominação de Origem Protegida) Carne Arouquesa.
 

Padrão da Raça Bovina Arouquesa (in Regulamento do Registo Zootécnico da População Bovina Arouquesa)

Corpulência - média, esqueleto regular e bem revestido de músculos.

Pele - Espessa revestida de pelos curtos e finos

Pelagem - Tipo flavo indo do aberto ao alaranjado

Cabeça - Bem proporcionada, grossa e longa. Protuberância frontal saliente, revestida de pelos mais desenvolvidos (marrafa) prolonga-se lateralmente pelos cornos com os quais descreve uma ligeira curva de abertura anterior; cornos grossos de secção elíptica brancos e ponta escura, destacando-se da protuberância numa posição horizontal e descrevendo uma curva pouco acentuada de abertura anterior descaindo ligeiramente no segundo terço para se elevar no último terço com ligeiro afastamento das pontas. Fronte larga, plana ou ligeiramente convexa no sentido transversal na posição superior com depressão entre os olhos. Chanfro de comprimento regular mais ou menos rectilíneo. Arcadas orbitais e olhos superficiais marginados de pelos brancos, sendo estes por sua vez geralmente envolvidos por uma zona de pelos escuros. Orelhas de inserção normal revestidas de pelos mais compridos. Faces triangulares, focinos grosso e largo, preto, envolvido por uma zona de pelos muito claros.

Pescoço - curto e grosso de bordo superior recto e bordo inferior prolongado por uma barbela desenvolvida mais estreita na metade anterior do que na posterior.

Peito - Largo e bastante embarbelado.

Lombo - Medianamente largo

Garupa - Alta e regularmente desenvolvida, cauda de alta inserção e borla geralmente fraca.

Costado - Alto ou largo e comprido. Aparelho mamário normalmente desenvolvido.

Membros - Espádua larga e bem musculada; nádegas relativamente desenvolvidas; na parte livre os membros são grossos e as articulações largas; unhas largas, fechadas, escuras, resistentes e encimadas por uma ligeira faixa de pelos escuros.

Top
Padrão da Raça Bovina Barrosã

Raça em que o peso adulto dos machos é de cerca de 800 kg e o das fêmeas é de cerca de 450 kg. É utilizada em produção de carne. A raça é oriunda da região do Barroso.

O número de vacas é de cerca de 7200. Associada a esta raça é comercializada carne com a DOP (Denominação de Origem Protegida) Carne Barrosã.
 

 

Padrão da Raça Bovina Barrosã (in Regulamento do Registo Zootécnico da População Bovina Barrosã)

Corpulência e conjunto das formas - Estatura mediana; formas muito harmoniosas; perfil concavo.

Pelagem - Castanho clara, tendendo em alguns casos para cor de palha ou para o acerejado, a orla envolvente do focinho, a face interna dos membros e a região mamária, mais claras. Machos normalmente mais escuros.

Aberturas naturais - Escuras, em regra.

Cabeça - Curta e larga, encimada por forte cornamenta em lira. Fronte quadrada, deprimida ao centro, com pronunciada saliência na região orbitária. Chanfro direito, arredondado e pouco saliente, boca larga, de lábio superior desenvolvido, focinho negro, largo, um pouco grosso, tendendo para o arrebitado. A orla é mais clara sem atingir o branco. Conjunto ocular saliente. Abertura palpebral e pestanas escuras, por via de regra. Orelhas de tamanho médio, orladas de pelos quase sempre escuros e providos interiormente de outros compridos. Chifres muito desenvolvidos em comprimento e espessura, de cor branco-sujo, com pontas escuras. Secção aproximadamente circular.

Pescoço - Curto, bem ligado à cabeça e à espádua. Barbela muito desenvolvida.

Cernelha - Larga e pouco saliente.

Costado - Bem arqueado.

Peito - Largo e descido.

Região dorso-lombar - Medianamente comprida; larga e horizontal; bem ligada à garupa.

Ventre - Pouco volumoso.

Garupa - Horizontal, larga e comprida; por vezes mais larga do que comprida. Boa largura isquiática.

Nádegas - Largas, descidas, sub-convexas.

Coxas - Regularmente largas e bem musculadas.

Cauda - De inserção média, terminada por regular borla de pelos, em regra escuros.

Úbere - Pouco desenvolvido.

Membros - Bem aprumados, curtos e pouco ossudos. Unhas escuras, rijas e arredondadas.

Pele - Muito grossa mas macia.

Temperamento - Um pouco nervoso, mas dócil.

Top
Padrão da Raça Brava de Lide

Raça em que o peso adulto dos machos é de cerca de 600 kg e o das fêmeas é de cerca de 375 kg.

O objectivo da sua produção é a obtenção de touros de lide.

O número de vacas é de cerca de 9000.
 


Padrão da Raça Brava de Lide (in Regulamento do Livro Genealógico Português da Raça Brava de Lide)

Corpulência – Tamanho mediano e esqueleto fino

Pelagem – De tipo diversos, predominando no entanto a cor preta

Andamentos – fáceis, enérgicos e correctos

Temperamento – nervoso, de grande agressividade e nobreza na investida

Adaptabilidade – muito rústico, com grande capacidade de adaptação

Cabeça – de tamanho médio e fronte larga; perfil subconvexo ou recto; olhos oblíquos, vivos e bem implantados; cornos finos, de inserção horizontal e secção elíptica, predominantemente em forma de gancho; orelha bem inseridas e providas de pelos compridos.

Pescoço – bem ligado, com barbela pouco desenvolvida e bem musculado no macho.

Cernelha – pouco saliente e muito larga no macho adulto

Peito – bem destacado e costado bem arqueado

Região dorso-lombar – recta, horizontal, com boa ligação à garupa e bem musculado no macho

Ventre – pouco volumoso

Garupa – mais comprida do que larga, com tendência para a horizontalidade

Nádega – bem descida e convexa

Coxa – forte e musculada

Cauda - fina e de média inserção

Úbere – bem implantado

Membros – finos, bem proporcionados e aprumados, com articulações forte, unhas lisas, rijas e bem unidas.

Top
Padrão da Raça Bovina Cachena

Raça em que o peso adulto dos machos é de cerca de 450 kg e o das fêmeas é de cerca de 250 kg. É utilizada em produção de carne. A raça é oriunda da região de Cabreiro, no Gerês.

O número de vacas é de cerca de 900. Associada a esta raça é comercializada carne com a DOP (Denominação de Origem Protegida) Carne Cachena da Peneda.
 


Padrão da Raça Bovina Cachena (in Proposta de Regulamento do Registo Zootécnico da Raça Bovina Cachena)


Macho Adulto

Corpulência - Pequena

Pele - Grossa, ligeiramente elástica, coberta de pelos lisos e espessos

Pelagem - Negra no pescoço, castanho claro no chanfro, castanho avermelhado na poupa. Pelagem escura até dois terços da área total do corpo do animal. A linha do períneo é clara com sedas escuras

Cabeça - Equilibrada, encimada por forte cornadura com uma poupa que descai da linha de topo entre cornos para a fronte do animal

Cornos - Armação forte, saída ligeiramente para cima e para a frente

Fenda palpebral - De cor escura sendo bem definida a inserção das pestanas

Olhos - Ligeiramente salientes, de expressão viva e atenta

Orelhas - De tamanho médio apresentam uma inserção horizontal com pelos interiores compridos. São orladas de cor escura

Face - Curta

Chanfro - Recto

Focinho - Largo e negro. Apresenta a mucosa interior do lábio de cor clara. Tem uma orla de cor bem definida de cor que vai do branco até ao amarelo, cujo limite termina na comissura labial.

Pescoço - Comprido e forte, com barbela de tamanho variável

Cernelha - Pouco saliente

Costado - Baixo e medianamente arqueado

Dorso - Recto e curto

Zona lombar - Curta e bem arredondada

Peito - Estreito e ligeiramente descaído

Espáduas - Curtas e bem delimitadas

Ventre - Muito volumoso

Garupa - Alta de ancas salientes

Nádegas - Quase rectas e pouco desenvolvidas

Cauda - Comprida e de inserção alta

Membros - Curtos, bem inseridos, de articulações pouco salientes mas robustas terminando em unhas largas e fortes

 

Fêmea Adulta

Corpulência - Pequena

Pele - Fina e muito elástica, coberta de pelos lisos e espessos

Pelagem - De cor castanho amarelado podendo ter pelos escuros na zona do pescoço. Apresenta uma linha do períneo mais clara e mais larga do que os machos. A mucosa das aberturas naturais é de cor escura.

Cabeça - Equilibrada, encimada por forte cornadura com uma poupa que descai da linha de topo entre cornos para a fronte do animal

Cornos - Armação forte, saída ligeiramente para cima e para a frente

Fenda palpebral - De cor escura sendo bem definida a inserção das pestanas

Olhos - Ligeiramente salientes, de expressão viva e atenta

Orelhas - De tamanho médio apresentam uma inserção horizontal com pelos interiores compridos. São orladas de cor escura

Face - Curta

Chanfro - Recto

Focinho - Largo e negro. Apresenta a mucosa interior do lábio de cor clara. Tem uma orla de cor bem definida de cor que vai do branco até ao amarelo, cujo limite termina na comissura labial.

Percoço - Comprido e forte, com barbela de tamanho variável

Cernelha - Pouco saliente

Costado - Baixo e medianamente arqueado

Dorso - Recto e curto

Zona lombar - Curta e bem arredondada

Peito - Estreito e ligeiramente descaído

Espáduas - Curtas e bem delimitadas

Ventre - Muito volumoso

Garupa - Alta de ancas salientes

Nádegas - Quase rectas e pouco desenvolvidas

Cauda - Comprida e de inserção alta

Membros - Curtos, bem inseridos, de articulações pouco salientes mas robustas terminando em unhas largas e fortes.

Top
Raça Garvonesa ou Chamusca

Raça em que o peso adulto dos machos é de cerca de 750/800 kg e o das fêmeas é de cerca de 450/500 kg. E utilizada em produção de carne.

A raça é oriunda do litoral alentejano, sendo anteriormente considerada a variedade Chamusco da raça Alentejana.

O número de vacas é de cerca de 55.

Top
Padrão da Raça Bovina Marinhoa

Raça em que o peso adulto dos machos é de cerca de 950 kg e o das fêmeas é de cerca de 600 kg. É utilizada em produção de carne.

A raça é oriunda da zona da marinha (Rio Vouga). O número de vacas é de cerca de 4500. Associada a esta raça é comercializada carne com a DOP (Denominação de Origem Protegida) Carne Marinhoa.

Padrão da Raça Bovina Marinhoa (in Regulamento do Registo Zootécnico da Raça Bovina Marinhoa)

Corpulência - Animais de grande porte, cujo peso médio, nos adultos oscila à roda dos 600 kg nas fêmeas e entre os 900 e os 1000 kg nos machos.

Conjunto das formas - Animais que denotam grande robustez, sendo compridos, largos e razoavelmente musculados; o pescoço é curto, com barbela reduzida nos terços superior e médio e mais desenvolvida na entrada do peito; as espáduas são bem ligadas; a garupa é muito comprida e inclinada, a cauda tem inserção alta e a linha dorso-lombar apresenta-se ligeiramente enselada. O conjunto resulta harmonioso e os andamentos são fáceis e vigorosos.

Pelagem - Castanho claro, pendendo para o palha ou, algumas vezes, para o acerejado. Na orla das orelhas, barbela, região periorbital e ponta da cauda, aparecem, muitas vezes, pelos castanhos bastante escuros ou mesmo pretos. As mucosas das aberturas naturais são escuras. Os machos apresentam em geral uma pelagem de tonalidade mais escura.

Cabeça - Comprida com fronte sub-côncava e chanfro recto. Olhos bem aflorados. Cornos em lira baixa, de comprimento médio e secção elíptica, sendo de cor branco sujo, enegrecidos nas pontas.

Tronco - Cernelha pouco saliente e larga. Dorso e lombo compridos e largos. Peito profundo e largo, com costelas bastante arqueadas; ventre volumoso, sem ser ventrudo.

Membros - Fortes e bem musculados, sendo os anteriores bem aprumados e os posteriores normalmente fechados de curvilhões. Perfil da nádega a tender para a convexidade e bem descida.

Top
Padrão da Raça Raça Bovina Maronesa

Raça em que o peso adulto dos machos é de cerca de 600/650 kg e o das fêmeas é de cerca de 350/400 kg. É utilizada em produção de carne.

A raça é oriunda das serras do Marão e Alvão. O número de vacas é de cerca de 7200.

Associada a esta raça é comercializada carne com a DOP (Denominação de Origem Protegida) Carne Maronesa.
 

Padrão da Raça Bovina Maronesa (in Regulamento do Registo Zootécnico da População Bovina Maronesa)

Corpulência - Média, esqueleto regular e bem revestido de músculos.

Pele - Flexível, revestida de pelos curtos, finos e lisos.

Pelagem - Variando do castanho escuro ao preto, com um listão dorsal avermelhado.

Cabeça - Pequena, expressiva, de perfil recto a ligeiramente côncavo, fronte ampla tendendo para o quadrático com ligeira depressão entre os olhos. Protuberância frontal saliente revestida de pelos mais desenvolvidos (marrafa) e de cor avermelhada. A inserção dos cornos é mediana, sendo estes projectados para o lado na horizontal e, de seguida, para a frente e para baixo, de tal forma que o tronco do corno fica paralelo ou quase ao chanfro. As pontas dirigem-se para cima e para fora. A linha direita que liga a base do corno ao ângulo externo do olho do mesmo lado é de direcção vertical ou ligeiramente reentrante. Arcadas orbitais ligeiramente salientes e olhos superficiais. As orelhas são de inserção normal revestidas de pelos mais compridos. Faces triangulares; focinho grosso e largo, preto de orla branca.

Pescoço - Curto e grosso, de bordo superior recto e bordo inferior prolongado por uma barbela de mediano desenvolvimento.

Peito - Largo e bastante embarbelado.

Lombo - Medianamente largo e direito.

Garupa - Triangular com acentuada largura bi-iliaca e de cauda com inserção média e borla geralmente bem desenvolvida.

Costado - Comprido e medianamente largo.

Membros - Espádua larga e bem musculada; nádegas relativamente desenvolvidas; na parte livre os membros são finos e as articulações medianas: unhas largas, fechadas, pretas, resistentes e encimadas por uma ligeira faixa de pelos mais claros.

Top
Padrão da Raça Bovina Mertolenga

Raça em que o peso adulto dos machos é de cerca de 900 kg e o das fêmeas é de cerca de 450/500 kg. É utilizada em produção de carne. A raça é oriunda das regiões de Mértola, Alcoutim e Martinlongo.

O número de vacas é de cerca de 14000.Associada a esta raça é comercializada carne com a DOP (Denominação de Origem Protegida) Carne Mertolenga.
 

 

Padrão da Raça Bovina Mertolenga (in Regulamento do Livro Genealógico Português da Raça Bovina Mertolenga)

Corpulência e conjunto de formas - Tamanho mediano e de formas harmoniosas. Esqueleto fino.

Pelagem - Vermelha, rosilho mil flores, vermelha malhada e malhada de vermelho. O contorno das aberturas naturais e mucosas de cor clara ou ligeiramente pigmentada.

Andamentos - Fáceis, enérgicos e correctos.

Temperamento - Nervoso.

Adaptabilidade - Muito rústico.

Cabeça - Tamanho mediano, de fronte larga; perfil sub-convexo ou recto; espelho claro, por vezes ligeiramente pigmentado; olhos grandes, oblíquos e bem implantados; cornos finos, brancos e escuros nas pontas, de secção elíptica, em forma de gancho, acabanados ou em lira baixa; orelhas bem inseridas e providas de pelos compridos.

Pescoço - Curto, bem ligado, com barbela pouco desenvolvida.

Cernelha - De largura média e pouco saliente.

Peito - Relativamente destacado.

Costado - bem arqueado.

Região dorso-lombar - Recta, horizontal, regularmente musculada e com boa ligação à garupa.

Garupa - Mais comprida que larga, regularmente musculada e com tendência para a horizontalidade.

Ventre - Não muito volumoso.

Nádega - Bem descida e convexa.

Coxa - Regularmente larga e musculada.

Cauda - Fina e de inserção média.

Úbere - Bem implantado.

Membros - Finos, bem proporcionados e musculados, aprumados, providos de unhas lisas e rijas.

Top
Padrão da Raça Bovina Minhota

Raça em que o peso adulto dos machos é de cerca de 950 kg e o das fêmeas é de cerca de 600 kg. É utilizada em produção de carne e algumas vacas são também ordenhadas.

A raça é oriunda do Minho.

O número de vacas é de cerca de 7000.
 


Padrão da Raça Bovina Minhota (in Regulamento do Registo Zootécnico da Raça Bovina Minhota)

Corpulência - Mediana

Esqueleto - Forte e bem revestido de músculos

Pele - Espessa, pouco elástica, coberta de pelos lisos, curtos, espessos e ásperos

Pelagem - Mais ou menos avermelhada, com aberturas naturais almaradas

Cabeça - Um pouco comprida abaixo dos olhos, geralmente mais direita que convexa no chanfro, fronte larga e ligeiramente convexa.

Cornos - De tamanho médio, se secção elíptica, brancos com as pontas afogueadas, saindo quase horizontalmente para os lados, desviando-se um pouco para trás, voltando-se depois para diante e com as pontas reviradas para cima e para fora no último terço do seu comprimento.

Arcadas orbitárias - Pouco salientes

Fenda palpebral - Ligeiramente oblíqua

Olhos - Superficiais e de expressão vagamente triste

Orelhas - De alta inserção, tamanho regular e providas no interior de pelos grossos e compridos

Faces - Compridas e triangulares

Chanfro - Geralmente rectilíneo, comprido, soldado aos nasais em abóbada circular

Focinho - Pequeno e ligeiramente convexo nos bordos externos

Pescoço - Curto e grosso, um pouco descaído, pouco embarbelado na parte superior mas bastante sobre o peitoral

Cernelha - Pouco saliente

Costado - Alto mas pouco arqueado

Dorso - Quase recto e comprido

Peito - Largo

Espáduas - largas e bem musculadas

Ventre - Um pouco volumoso

Garupa - Alta, de ancas salientes e bem musculadas

Nádegas - Quase rectas e regularmente desenvolvidas

Cauda - Comprida, de inserção alta e regularmente encabelada

Úbere - Regularmente conformado e desenvolvido

Membros - Altos de articulações pouco salientes terminados por unhas largas e fortes

Zona lombar - Comprida mas um tanto estreita

Top
Padrão da Raça Bovina Mirandesa

Raça em que o peso adulto dos machos é de cerca de 900 kg e o das fêmeas é de cerca de 550 kg. É utilizada em produção de carne.

A raça é oriunda da região de Miranda do Douro. O número de vacas é de cerca de 6300. Associada a esta raça é comercializada carne com a DOP (Denominação de Origem Protegida) Carne Mirandesa.
 

Padrão da Raça Bovina Mirandesa (in Regulamento do Livro Português da Raça Bovina Mirandesa)

Corpulência - Grande.

Conjunto das formas - os bovinos mirandeses são compridos, largos, bem musculados, de linha dorso-lombar quase horizontal, de terço posterior desenvolvido, de membros de comprimento mediano, formando no seu todo um conjunto harmónico.

Pelagem - Linha dorso-lombar e marrafa loira; dorso e lombo aloirados, que vão escurecendo progressivamente para as extremidades, atingindo nestas zonas normalmente a tonalidade preta. Os machos são mais escuros que as fêmeas e as crias são homogeneamente loiras.

Andamentos - Fáceis, sem vacilação da anca.

Temperamento - Manso mas enérgico.

Cabeça - Pequena, perfil ligeiramente côncavo; nuca larga e proeminente; marrafa abundante e aloirada; fronte larga e deprimida entre as órbitas; olhos aflorados e rodeados por uma zona de pelos claros; chanfro curto e recto, focinho largo, de coloração preta e com uma orla de pelos brancos; orelhas largas, horizontais, revestidas internamente de pelos compridos e claros; cornos de cor esbranquiçada, enegrecidos na ponta, de comprimento médio, de secção circular, simétricos, pouco divergentes, ligeiramente inclinados para baixo na origem e revirados para cima na ponta.

Tronco - Pescoço curto, forte e de barbela desenvolvida; cernelha larga e um tanto saliente; dorso e lombo compridos e largos; garupa comprida, larga, aproximando-se da horizontal; cauda de média inserção, comprida, fina e bem tufada; tórax alto, largo e bem arqueado; ventre de regular desenvolvimento, úbere bem implantado e de boa conformação.

Membros - Bem aprumados, flanco bem descido, espádua comprida e larga, braço e antebraço fortes, coxa e nádega compridas, largas, bem musculadas e com perfis tendendo para a convexidade; extremidades fortes e com articulações largas, unhas rijas e de tamanho médio.

Top
Padrão da Raça Bovina Preta ou Negra Ibérica

Raça em que o peso adulto dos machos é de cerca de 950 kg e o das fêmeas é de cerca de 525 kg. É utilizada em produção de carne. Na formação desta raça intervieram as raças negras espanhoas e a raças nacionais Mirandesa, Alentejana e Brava.

O número de vacas é de cerca de 41000. Associada a esta raça é comercializada carne com a DOP (Denominação de Origem Protegida) Carne da Charneca.
 


Padrão da Raça Bovina Preta ou Negra Ibérica (in Regulamento do Livro Genealógico Português da Raça Bovina Negra Ibérica)

Corpulência – Grande.

Conjunto das formas - os bovinos da Raça Preta são compridos, largos, de linha superior horizontal, de terço posterior bem desenvolvido, de membros fortes, formando no seu todo um conjunto harmónico.

Pelagem - Uniformemente negra, ou algumas vezes parda ou atigrada.

Mucosas - Sempre pigmentadas.

Pêlo - Pele abundante e grossa, com pelo tupido e mais ou menos comprido segundo a época do ano.

Temperamento – Tendendo para dócil.

Cabeça - De tamanho médio, um pouco estreita. Perfil frontal nasal tendendo para o recto. Ligeira concavidade na fronte. Frente ampla e topete elevado. Cornos em gancho alto, crescendo no prolongamento um do outro lateralmente, para depois se elevarem a meio do seu comprimento para a frente e para cima.

Pescoço - Potente, musculoso, curto, grosso e com grande morrilho nos machos. Barbela abundante tendendo a reduzir-se por selecção.

Tronco - Tórax profundo e forte. Garrote elevado, comprido e cheio. Linha dorso-lombar musculada, horizontal ou com ligeira inclinação de trás para diante nas fêmeas e no sentido oposto nos machos. Abundam os dorsos afundados, devido aos defeitos de alto de garrote ou alto de pombinha. Garupa comprida, não muito recta, com desmesurada projecção dos ângulos iliacos e isquiáticos, o que dá a falsa imagem de garupa estreita vista por trás. Cauda de nascimento alto, comprida, grossa e abundante borla de pelos no final, que nos machos chega a tocar no chão. Peito largo, costelas arqueadas, muito compridas, inclinadas para trás e de largos espaços intercostais. Tórax descido e profundo, em grau dificilmente superado por outros bovinos. Vazio amplo e com corda bem marcada. Ventre volumoso, proporcional ao desenvolvimento torácico. Sistema mamário sem exagerado desenvolvimento, úbere protegido por pelo sedoso, fino, untuoso, de cor preta ou preto-acastanhado, misturado com outros pelos mais grossos muito mais compridos e fortes e ainda mais negros que, em tempo de inactividade funcional ocultam os tetos.

Membros - Proporções médias, ossos fortes e articulações poderosas. Braços curtos e antebraços compridos. Nádega pouco desenvolvida e forma aligeirada, com aspecto diametralmente oposto em animais seleccionados. Unhas fortes, duras, simétricas, unidas e sempre pigmentadas.

Top
Padrão da Raça Bovina do Ramo Grande

Raça em que o peso adulto dos machos é de cerca de 900 kg e o das fêmeas é de cerca de 550 kg.

É utilizada em produção de carne. A raça é oriunda da região de Ramo Grande na Ilha Terceira.

O número de vacas é de cerca de 250. 
 
Padrão da Raça Bovina do Ramo Grande (in Regulamento do Registo Zootécnico da Raça Bovina do Ramo Grande, Portaria nº11/95 de 30 de Março, DR, 1ª Série)

Aspecto geral - Estatura elevada nos machos com pelagens a tender para o vermelho uniforme, podendo este oferecer tonalidades variadas desde o vermelho muito claro até ao vermelho tijolo.

Cabeça - Comprida, apresentando-se a linha fronto-nasal predominantemente convexa, podendo, em alguns casos, ser recta ou mais raramente côncava e, sempre, com cornos de desenvolvimento médio, em relação ao desenvolvimento do animal; de extremidades afogueadas cobertas na sua inserção por pelos que formam uma pequena marrafa.

Tronco - Corpulência notável, mantendo-se em crescimento até aos oito anos ou mais de idade, chegando a atingir 1.70 metros de altura na cernelha e 2.30 metros de perímetro torácico. O pescoço é regularmente desenvolvido e apresenta o bordo superior recto ou um pouco convexo, enquanto o inferior é provido de barbela pouco evidente. O terço anterior é mais desenvolvido do que o posterior, ligados entre si por um costado pouco alto e pouco arqueado.

Membros - Membros de boas articulações, terminando por unhas afogueadas e resistentes que facilitam o trabalho.

Pelagem - As pelagens mais vulgares são as vermelhas simples, embora se admita a existência em alguns casos, de pelagens malhadas ou interpoladas. O vermelho é mais ou menos intenso. As aberturas naturais são atijoladas.

Top
Padrão da Raça Bovina Charolesa

A raça Charolesa é de origem francesa. É uma raça especializada em produção de carne.

O peso adulto dos machos é de cerca de 1000 kg e o das fêmeas de cerca de 720 kg.
 

Padrão da Raça Bovina Charolesa (in Regulamento do Livro Genealógico Português da Raça Bovina Charolesa)

Corpulência - Grande.

Conjunto das formas - os bovinos Charoleses são compridos, largos, de linha superior horizontal, de terço posterior bem desenvolvido, de membros fortes, formando no seu todo um conjunto harmónico.

Pelagem - Uniformemente branca, ou algumas vezes creme sem malhas.

Mucosas - Claras.

Pele - De espessura média mas muito elástica.

Temperamento - Dócil.

Cabeça - Relativamente pequena, curta; fronte larga, rectilínea ou ligeiramente côncava; linha fronto-nasal rectilínea e curta; cornos arredondados, brancos e alongados; orelhas de mediano comprimento, delgadas e pouco guarnecidas de pelos; olhos grandes e salientes; focinho largo.

Tronco - Pescoço curto de barbela reduzida; tórax profundo, costado bem arqueado e bem ligado com a espádua; dorso horizontal muito musculado; rim muito largo e espesso; ancas e garupa muito largas; cauda pouco saliente e pouco encravada entre os isquiones, delgada e terminada por um tufo de pelos finos. A linha abdominal é paralela à do dorso.

Membros - Fortes, de largo curvilhão e bem aprumados; nádega arredondada e bem descida.

Top
Padrão da Raça Bovina Limousine

A raça Limousine é de origem francesa. É uma raça especializada em produção de carne.

O peso adulto dos machos é de cerca de 1000 kg e o das fêmeas de cerca de 700 kg.
 
 

Padrão da Raça Bovina Limousine (in Regulamento do Livro Genealógico Português da Raça Bovina Limousine)

Corpulência - Grande.

Conjunto das formas - os bovinos Limousine são compridos, largos, de linha dorso-lombar horizontal, de terço posterior bem desenvolvido, de membros finos mas sólidos, formando no seu todo um conjunto harmónico.

Pelagem - Uniforme, flava ou vermelho cereja sem manchas, com zonas mais claras em volta dos olhos e das aberturas naturais.

Mucosas - Claras, sem pigmentação

Pele - De espessura média, bastante elástica.

Temperamento - Dócil.

Cabeça - Pequena, curta; fronte larga, sub-convexa; linha fronto-nasal rectilínea e curta; cornos pequenos e arredondados; orelhas expressivas de médio comprimento, delgadas e pouco guarnecidas de pelos; olhos salientes, grandes e almarados; focinho largo.

Tronco - Pescoço curto de barbela reduzida; tórax profundo, costado bem arqueado e bem ligado à espádua; dorso horizontal e bem musculado; rim largo e espesso; ancas e garupa muito largas; cauda pouco saliente, bem inserida e terminada por um tufo de pelos finos; linha abdominal paralela à do dorso.

Membros - Sólidos, de curvilhão pouco largo; bem aprumados; nádega arredondada e bem descida; unhas claras.

Top
Newsletter
Subscreva a nossa Newsletter
CAMPANHA FORRAGEIRAS
Sementes Forrageiras e Misturas AGROQUISA
A AGROQUISA põe à sua disposição uma gama de espécies forrageiras melhoradas e seleccionadas
Sementes Forrageiras e Misturas AGROQUISA
Agroquisa © Todos os Direitos Reservados. Site Desenvolvido: Cyclop Net - Desenvolvimento de Sites Profissionais.