Home |  Contactos |  Consultório |  Carreira |  Meteorologia |  Mapa Site
Português  English 
Calendários de Tratamento e Fertilização
Conheça os inimigos das suas Culturas
Pesquisar:
Notícias
Algas TOMEX
Ensaio na Lourinhã em Abóbora
Conheça os resultados positivos deste ensaio da Agroquisa em conjunto com a MCA Algas y Derivados e com a Louricoop.
Ensaio na Lourinhã em Abóbora
Campanha ANIPLA
Campanha ANIPLA
Campanha ANIPLA
Informações
Centro de Informação Antivenenos
Aberto 24H por dia. Fornece gratuitamente todas as informações necessárias ao tratamento de envenenados com Agroquimicos.
Centro de Informação Antivenenos
Mundo Animal » PRAGAS » Espécie de Artrópodes » Formigas
Formigas
Alguma espécies de formigas importantes como pragas urbanas
Particularidades da inspecção de locais com vista ao controlo de pragas de formigas
Controlo de formigas
Diferenças entre formigas e térmitas
Formigas

As formigas são insectos socialmente organizados que vivem em colónias onde se encontram um ou mais reprodutores, obreiras e formas imaturas (ovos, larvas e pupas). As obreiras são estéreis, raramente têm asas e estão encarregues de construir, reparar, manter e defender os ninhos que protegem os insectos contra os seus inimigos e as intempéries.

Além disso, têm também como função manter as formigas imaturas e adultas da colónia, incluindo a rainha. Por vezes as obreiras de maiores dimensões são designadas soldados. As rainhas normalmente são aladas mas perdem as asas depois da fase de reprodução. Os machos também têm asas que mantêm até à morte; têm apenas uma função reprodutiva, morrendo depois de a concluir.

As novas colónias de formigas podem formar-se através de dois métodos. Na maioria das espécies as colónias são iniciadas com uma rainha recentemente acasalada que perde as suas asas e escava uma galeria ou procura um esconderijo para iniciar o seu ninho. Depois da postura, a rainha cuida e alimenta as larvas até que estas se desenvolvam até ao estado de pupas.

As primeiras obreiras resultantes escavam o caminho para o exterior e iniciam a busca de alimento para si e para os restantes insectos presentes na colónia. Noutras espécies, uma ou mais rainhas deixam o ninho acompanhadas de obreiras que ajudam a estabelecer uma nova colónia; é o caso, por exemplo das formigas argentinas e das formigas faraó.

Os ninhos são construídos junto de fontes de água e alimento e, dependendo da espécie, podem localizar-se no solo, em estruturas de madeira ou no interior de edifícios. As formigas procuram o seu alimento em diversos locais como habitações, armazéns e jardins, incluindo produtos doces, gordura, carne, folhas e frutos, insectos mortos etc.

As preferências alimentares das formigas são variáveis: algumas espécies têm um espectro alimentar bastante variado, para outras este espectro é bastante limitado. Também as necessidades da colónia têm influência nas preferências alimentares: quando a produção de ovos é elevada as obreiras alimentam a rainha com alimento ricos em proteína; noutras ocasiões são preferidos os alimentos ricos em glúcidos e em gordura.

Dentro da colónia o padrão de transmissão do alimento é complexo; basicamente, o alimento e a água são passados de boca em boca em direcção às larvas e à rainha (isto explica o facto dos iscos alimentares contendo insecticidas de acção prolongada serem muito eficazes). Quando encontram um alimento adequado as formigas marcam-no com um composto odorífero que lhes permite encontrar o caminho de ida e volta do ninho.

Top
Alguma espécies de formigas importantes como pragas urbanas

A importância das formigas como pragas urbanas está estreitamente relacionada com a espécie. As formigas podem picar ou morder, invadir e contaminar alimentos facilitando a transmissão de doenças, construir os seus ninhos em locais variados, atacar diversas estruturas presentes nas construções, atacar plantas, atacar aves e outras espécies, ou apenas perturbar o homem e os animais domésticos pela sua presença.

As diferenças de comportamento alimentar e de outros hábitos entre as espécies de formigas tornam a sua identificação importante quando se pretende implementar medidas de controlo eficazes.

As pragas mais comuns de formigas devem-se a espécies que vivem no exterior e que entraram nos edifícios por ali encontrarem alimentos disponíveis. Podem encontrar-se no interior dos edifícios formigas de diversas espécies e tamanhos, normalmente obreiras.

Formigas carpinteiras

Encontram-se frequentemente na vizinhança e no interior dos edifícios. São formigas grandes (0.6 a 1.9 cm) e bastante escuras (pretas ou castanhas). Escavam em madeira galerias lisas que mantêm limpas, construindo os seus ninhos mais frequentemente no exterior, em madeira húmida.

O prejuízo que provocam nas estruturas de madeira é bastante inferior ao das térmitas, já que não têm capacidade para digerir a celulose. Os seus alimentos são variados, incluindo outros insectos vivos ou mortos e praticamente todos os alimentos humanos. Apreciam também as secreções doces dos pulgões.

A sua actividade é essencialmente nocturna. A prevenção de infestações por formigas carpinteiras é feita essencialmente através de um tratamento periférico (que tem como objectivo prevenir também as infestações por baratas, aranhas, etc.), associado a medidas de saneamento como a correcção da humidade excessiva, o armazenamento da lenha afastado das habitações e elevado em relação ao solo e o impedir que estruturas como por exemplo ramos de árvores permitam o acesso ao interior dos edifícios.

Formiga argentina

É a espécie mais frequente nas habitações da região mediterrânica, tem 2 a 2.5 mm de comprimento, e uma coloração castanha clara a escura. Constroem os seus ninhos preferencialmente no solo húmido junto dos edifícios ou debaixo destes, próximo de fontes de água e alimento.

Formam grandes filas de obreiras que se deslocam nervosamente. Alimentam-se de matéria orgânica preferindo as mais doces como açucares, sumos de gruta e secreções dos pulgões. A sua actividade desenvolve-se durante o dia e durante a noite.

Formiga ladra

É uma das espécies mais pequenas que se encontram no interior dos edifícios, tendo cerca de 1 a 3 mm de comprimento. As obreiras são amarelas a acastanhadas.

Estas formigas vivem frequentemente nas colónias de outras maiores alimentando-se das larvas. Apreciam também queijo, carne (toucinho, fiambre e outros produtos cárneos) e alguns alimentos doces.

Formiga faraó

São formigas pequenas, com 2 a 3 mm de comprimento, e uma coloração amarela a castanha avermelhada.

Alimentam-se de uma grande variedade de materiais comestíveis. São muito persistentes e os ninhos normalmente estão bem escondidos, mais frequentemente nas cozinhas e nas casas de banho, entre as paredes, por baixo do chão, nas placas dos interruptores, em lixo antigo, etc., o que associado ao facto de se afastarem bastante dos formigueiros dificulta a sua localização e naturalmente o controlo.

Formigas negras ou de jardim

Encontram-se frequentemente no interior dos edifícios. Têm cerca de 1 mm de comprimento e uma coloração negra.. Constroem os ninhos no exterior em áreas relativamente abertas ou nas camadas de isolamento, penetrando desde aí para o interior dos edifícios. Na natureza procuram essencialmente a secreção doce produzida pelos pulgões.

Top
Particularidades da inspecção de locais com vista ao controlo de pragas de formigas

Muitos dos procedimentos a adoptar com vista ao controlo de pragas de formigas dependem da espécie envolvida (devido à variedade de hábitos), do grau de infestação e da localização do ninho.

Assim, quando se procede à inspecção de locais infestados por formigas, além do normalmente realizado para a maioria das pragas torna-se por vezes necessário implementar um programa de reconhecimento com iscos não tóxicos de forma a localizar os ninhos. Com efeito, colocar materiais atractivos (iscos) que possam levar à formação de novos trilhos é uma forma de localizar os formigueiros.

Devem ser utilizados iscos de tipos bastante diferentes, por exemplo mel e toucinho, de forma a assegurar a resposta das formigas. Os iscos devem ser observados em vários dias, anotando-se as alterações observadas, a visualização de formigas, os trilhos percorridos, etc.

Top
Controlo de formigas

Tal como acontece com a maioria das pragas urbanas, a melhor forma de impedir uma praga de formigas no interior de um edifício é mantê-lo limpo, já que qualquer resto de alimento pode atrair as formigas.

Os alimentos devem também ser armazenados em recipientes estanques e bem fechados e deve evitar-se colocar em interiores plantas que possam atrair formigas, pulgões ou outros insectos produtores de secreções doces. Devem também calafetar-se fendas e orifícios no exterior e no interior por onde as formigas possam entrar nos edifícios.

Os tratamentos locais dos trilhos, eliminando as obreiras resolvem temporariamente o problema. No entanto, estas aplicações não substituem a localização e a eliminação dos formigueiros, sendo o tratamento dos ninhos a forma de controlo mais eficaz.

No caso de formigas com maior tendência para construir os ninhos em interiores (formiga faraó, formiga ladra) deve ser aplicado nestes um insecticida com poder residual, preferencialmente na forma de um pó para polvilhar.

Além do tratamento directo dos ninhos com pó, os outros locais em que se observaram formigas devem também ser tratados através de uma aspersão também com poder residual. De uma forma geral, os pós molháveis e os microencapsulados têm maior poder residual em superfícies porosas do que os concentrados emulsionáveis, mas quando se trata do tratamento de interiores, estes últimos têm menos problemas de resíduos.

Para que as formigas visíveis morram podem utilizar-se aspersões não residuais. Os iscos insecticidas são também uma boa forma de controlo pois as obreiras transportam o alimento mortal, partilhando-o com a rainha e com os outros animais presentes no ninho, morrendo toda a colónia, incluindo as formas imaturas.

Para as formigas que constroem os seus ninhos em interiores é também muito importante a sua localização; estes devem ser empapados ou inundados com uma solução insecticida residual.

Podem também utilizar-se pós molháveis ou grânulos e em seguida inundar os ninhos. Nos edifícios devem aplicar-se insecticidas residuais nos locais por onde as formigas possam entrar e em estruturas que possam facilitar a sua entrada (cabos telefónicos, ramos de árvores, etc.).

Os tratamentos periféricos com aplicações à volta das habitações, portas, janelas e rodapés, são úteis quando os ninhos se localizam no exterior, impedindo assim a penetração das obreiras quando buscam alimentos.

No entanto, não sendo eliminado o ninho, as formigas poderão voltar a entrar nos edifícios quando a barreira química já não tiver eficácia.

Top
Diferenças entre formigas e térmitas

Por vezes as formigas voadoras podem assemelhar-se a térmitas voadoras. A distinção entre as duas infestações é fundamental para implementar medidas de controlo correctas. Para distinguir formigas e térmitas voadores devem ser considerados os seguintes aspectos:

  • As formas aladas de ambas as espécies têm quatro asas mas enquanto as das térmitas têm o mesmo tamanho, nas formigas o par anterior é maior que o posterior.
  • As asas das térmitas são duas vezes mais compridas que o corpo.
  • Quando expostas contra a luz as asas das formigas são praticamente transparentes. As asas das térmitas têm uma aparência leitosa translúcida.
  • As asas das formigas estão firmemente presas, enquanto as das térmitas são facilmente removidas ou caem.
  • O corpo das formigas parece segmentado ligando-se o tórax ao abdómen através de uma cintura estreita, o das térmitas parece mais homogéneo, sendo estes insectos largos e robustos.
  • As antenas das formigas são encurvadas, as das térmitas são direitas.
Top
Newsletter
Subscreva a nossa Newsletter
CAMPANHA FORRAGEIRAS
Sementes Forrageiras e Misturas AGROQUISA
A AGROQUISA põe à sua disposição uma gama de espécies forrageiras melhoradas e seleccionadas
Sementes Forrageiras e Misturas AGROQUISA
Agroquisa © Todos os Direitos Reservados. Site Desenvolvido: Cyclop Net - Desenvolvimento de Sites Profissionais.