Home |  Contactos |  Consultório |  Carreira |  Meteorologia |  Mapa Site
Português  English 
Calendários de Tratamento e Fertilização
Conheça os inimigos das suas Culturas
Pesquisar:
Notícias
Algas TOMEX
Ensaio na Lourinhã em Abóbora
Conheça os resultados positivos deste ensaio da Agroquisa em conjunto com a MCA Algas y Derivados e com a Louricoop.
Ensaio na Lourinhã em Abóbora
Campanha ANIPLA
Campanha ANIPLA
Campanha ANIPLA
Informações
Centro de Informação Antivenenos
Aberto 24H por dia. Fornece gratuitamente todas as informações necessárias ao tratamento de envenenados com Agroquimicos.
Centro de Informação Antivenenos
Mundo Animal » PRAGAS » Espécie de Artrópodes » Piolhos
Piolhos

Piolhos que atacam o homem
Destacam-se como espécies que afectam o homem o piolho dos fatos (Pediculus humanus corporis), o piolho da cabeça (Pediculus humanus capitis) e o piolho do púbis (Phthirus pubis). Estas espécies pertencem à ordem Anoplura, e são também chamados piolhos sugadores; as sua picadas provocam irritação cutânea.

Os piolhos são pequenos insectos sem asas de olhos muito pequenos, com peças bucais adaptadas para morder e chupar. As patas terminam em pinças. São hematófagos e estão continuamente a alimentar-se. São pouco resistentes às alterações da temperatura corporal dos hospedeiros, abandonando-os quando esta aumenta (febre) ou diminui (morte). A transmissão dos piolhos ocorre através de partilha de objectos como pentes, roupas ou durante as relações sexuais, dependendo da espécie de piolhos.

Os piolhos revelam grande dependência e especificidade de hospedeiros onde se completa todo o seu ciclo de vida. Os adultos sobrevivem poucos dias sem hospedeiros, as lêndeas são mais resistentes.

O piolho dos fatos encontra-se apenas no corpo e na roupa e prefere parasitar os humanos que vivem em más condições higiénicas. A sua presença não é favorecida por mudança frequentes de roupa e pela sua lavagem. Sem ter acesso a sangue sobrevivem durante 4 dias a 23ºC. As suas picadas são incómodas e transmitem doenças ao homem como por exemplo a febre tifóide.

O piolho da cabeça deposita os seus ovos, denominados lêndeas, nos cabelos, junto à raiz, ou por vezes soltos. Em 5 a 15 dias os ovos eclodem e depois de 2 a 3 semanas os insectos atingem o estado adulto. Sem acesso a sangue os piolhos sobrevivem apenas durante dois dias no interior das habitações. Não transmitem doenças ao homem. As infestações são mais frequentes em crianças de idade escolar.

O piolho do púbis pode encontrar-se nos pelos púbicos, nos das axilas, da barba, das sobrancelhas e das pestanas. Os ovos são postos presos aos pelos e o desenvolvimento até adultos demora cerca de 3 semanas. Transmitem-se essencialmente durante as relações sexuais. As picadas e prurido junto dos órgãos genitais ou nas axilas podem ser devidas a este piolho. Podem ainda aparecer manchas azuladas que se devem a uma alteração da coloração da pele provocada pelas secreções salivares dos piolhos.

Na prevenção das infestações por piolhos as medidas de higiene são obviamente fundamentais. Inclui-se aqui a higiene pessoal, a mudança e lavagem de vestuário e roupas de casa e a limpeza das habitações. No caso de se detectar num membro da família uma infestação todos devem ser inspeccionados mas só os afectados deverão ser tratados.
O tratamento da pediculose humana é naturalmente um problema médico. O vestuário e roupa de casa utilizados por pessoas infestadas, bem como escovas de cabelo, pentes, chapéus e gorros devem ser lavados com água bem quente. A 125ºF os piolhos adultos são mortos em 5 minutos e as lêndeas em 10 minutos. Na limpeza das habitações onde se encontram pessoas infestadas deve merecer uma atenção especial a remoção de cabelos caídos. O tratamento dos locais com compostos químicos raramente é necessário já que os piolhos têm um tempo de vida muito limitado fora dos hospedeiros.

Top
Newsletter
Subscreva a nossa Newsletter
CAMPANHA FORRAGEIRAS
Sementes Forrageiras e Misturas AGROQUISA
A AGROQUISA põe à sua disposição uma gama de espécies forrageiras melhoradas e seleccionadas
Sementes Forrageiras e Misturas AGROQUISA
Agroquisa © Todos os Direitos Reservados. Site Desenvolvido: Cyclop Net - Desenvolvimento de Sites Profissionais.